7 maneiras de aumentar as vendas e margens do seu e-commerce

Diariamente, surgem novas lojas virtuais. Mercado em franco crescimento, facilidade de acesso à tecnologia e a demanda do consumidor por melhores experiências de atendimento formam uma equação que abre muitos espaços no varejo eletrônico.

A seguir, você encontra 7 passos eficientes para aumentar suas vendas, fortalecer a rentabilidade da operação e garantir que a sua loja tenha destaque e produtos mais competitivos.

1- Contrate um especialista em SEO.:Um dos caminhos mais importantes pelos quais um potencial cliente vai conhecer a sua loja são as ferramentas de busca, mais especificamente o Google, URL mais acessada do planeta. É muito importante que o seu e-commerce invista em otimizar a presença e qualificação nos sites de busca (SEO).

Com um site bem posicionado, sua loja passa a ter vantagens sobre os concorrentes. Vale a pena esclarecer que SEO e Links Patrocinados são coisas diferentes, embora ambos compartilhem a mesma página. Em SEO, o foco está em criar relevância entre o conteúdo através da relação com as palavras-chave de busca. Já os links patrocinados independem do conteúdo. A construção de visibilidade se dá por meio de lances em um leilão de anúncios, atraindo clientes ocasionais e, possivelmente, menos suscetíveis a fidelização.

2- Use (muitas) imagens (de qualidade): Um dos fatores que mais influenciam nas compras, independentemente do canal (on ou offline), é a aparência do produto. Uma boa imagem é essencial na venda. Então, tenha boas fotos! Se o cliente não sentir confiança na análise do produto pelas imagens que você oferecer, aumenta a probabilidade de mais um carrinho abandonado, venda perdida e uma oportunidade de fidelizar desperdiçada.

3- Tenha eficiência e transparência no frete e prazos: Segundo a e-Bit, o frete grátis é o segundo maior estímulo para comprar online e o terceiro fator mais decisivo de compra no e-commerce. Em outras palavras, a estratégia de frete e entrega influencia diretamente o cliente no momento da decisão sobre onde e como comprar. Além disso, o tempo de entrega é, assim como o valor do transporte, determinante de sucesso.
Por isso, para garantir um maior volume de vendas e ter mais clientes fiéis, é importante investir em gateways de frete. Ao oferecer mais opções de transporte e prazo, você dá ainda mais transparência ao negócio e aumenta as chances de aquela compra terminar com final feliz para todos.

4- Geração de conteúdo pelo usuário: 

Descubra e aposte em maneiras diferentes e eficazes de tornar seu produto conhecido. A geração de conteúdo pelo próprio usuário é uma dessas formas, por oferecer recomendações, opiniões, reviews e atingir novos usuários através da experiência daqueles que já conhecem a sua loja. Para isso, vale experimentar plataformas diversas, desde o mobile até os blogs e principalmente redes sociais, como o twitter, que vem crescendo como plataforma para atendimento online.

5- Tenha um site com sistema de pagamentos seguro: 

Segurança e confiança definem grande parte das vendas. Ainda há muita gente com receio de comprar online devido aos constantes casos de fraude e má fé no e-commerce. Esse ainda é um gargalo significativo e que deve ser tratado com atenção. Por isso, é preciso contar sistemas de pagamento digital e validadores de transações que integrem todos os meios e garantam, acima de tudo, percepção de proteção.

Cuidar da integridade do seu próprio banco de dados e proteger a informação que transita entre browser e servidor é fundamental. Criptografar os dados que trafegam no servidor e realizar a blindagem do site diminui as chances de prejuízos maiores.

6- Invista em m-commerce: 

Num cenário em que existem mais celulares do que pessoas no Brasil e que, cada vez mais, o tráfego acontece através dispositivos móveis, investir em soluções responsivas ou focadas nesses gadgets tem se tornado não mais “o futuro do e-commerce”, mas o presente. Já que os smartphones são quase uma extensão do corpo das pessoas, como negligenciar as oportunidades de venda via apps e sites para celulares e tablets? E se você já possui essa ferramenta, o interessante é tornar a experiência do usuário cada vez mais atrativa e conveniente.

7- Humanize o processo: 

Apesar do constante crescimento do comércio eletrônico, é perceptível a integração da internet à maioria das atividades do nosso dia a dia. Isso pressiona o ecommerce a ser mais humano. O consumidor é um só, independente do canal ou hora do dia. Demonstrar que, ali do outro lado da tela, também há um ser humano, torna mais agradável a experiência. Isso gera fidelização e constrói reputação. Design orientado à usabilidade e atendimento focado em resolver problemas e criar boas recordações podem ser a diferença entre o sucesso e o fracasso no nosso mercado.

Fonte: e-commerce Brasil

A embalagem que você envia seu produto diz muito sobre seu e-commerce

Na hora de entregar um produto, a escolha da embalagem é uma peça-chave para garantir a satisfação do cliente. Fatores como manter a integridade do produto durante o transporte são importantes, mas também é necessário pensar que a embalagem pode criar um diferencial entre a sua empresa e as outras.

Em primeiro lugar, entenda que tipo de produto sua empresa entrega e escolha a embalagem que contenha as características necessárias para que o produto chegue intacto até o cliente.

Pense em todas as etapas: desde o armazenamento, até a saída da loja, o manuseio pela empresa de transporte/correio. Sua empresa perde pontos com qualquer dano que o produto venha a sofrer durante o transporte. Garantir que o produto chegue do jeito que o cliente espera é essencial!

Além disso, inovação é com certeza algo a se levar em conta. Embalagens que chamem a atenção do cliente aumentam a satisfação dele com a loja.

Invista em embalagens que, além de práticas e seguras, sejam também bonitas. Isso mostra que a empresa teve cuidado com o produto desde a escolha da embalagem e transmite confiança ao consumidor. Pesquise os concorrentes e tenha um diferencial desde a etapa da embalagem.

Colocar junto com o produto flyers com propagandas e promoções da empresa pode ser uma boa forma de fazer com que o cliente continue comprando na loja, mas tome cuidado para que essas informações estejam sempre atualizadas.

Investir em pequenos brindes junto com o produto, ou mensagens agradecendo o cliente por ter escolhido a loja também mostram cuidado e atenção e fidelizam o consumidor.

Você pode apostar também em mandar um brinde especial dentro da embalagem, ou um vale desconto depois de um número x de compras do cliente com uma mensagem agradecendo a fidelidade com a loja e a vantagem oferecida.

Lembre-se: para o sucesso do seu e-commerce, todas as etapas devem ser pensadas com cuidado. Não perca a chance de se diferenciar no mercado, invista! Cliente satisfeito é cliente fiel.

Fonte: E-commerce Brasil

Se você odeia aquela mensagem de curtir/compartilhar, comemore.

Sem curtir ou compartilhar: Facebook punirá páginas com essa brincadeira.

O Facebook anunciou, no último dia 10, que vai realizar algumas mudanças no seu feed de notícias para oferecer, aos seus usuários, uma melhor experiência de navegação. Para que todos tenham acesso às notícias realmente relevantes, as mensagens “curtir/compartilhar”, os conteúdos frequentemente repetidos e os links com spam serão banidos da rede social por seu algoritmo, que está sendo aprimorado para essa tarefa.

Esse tipo de conteúdo, quando compartilhado, curtido ou comentado, tende a subir no feed de notícias e a atingir um grande número de usuários, escondendo as postagens da lista de amigos.

Essa medida fará com que os posts de contatos e as atualizações de outras páginas sejam mostrados com destaque nas atualizações. Tudo isso foi uma resposta aos pedidos dos usuários que frequentemente reclamam desse tipo de mensagem.

Isso pode gerar insegurança por parte de alguns donos de páginas, mas o Facebook alerta que a maioria dos editores não alimentam essa prática no site.

Portanto, não há o que temer, ninguém será impactado negativamente por essas mudanças. Pelo contrário, os seus conteúdos terão muito mais evidência. Somente quem, propositalmente, comete spam é que vai ver sua distribuição diminuir com o passar do tempo.

facebook-jaera

 

O que e por que será proibido:

Quem já não se deparou com as famosas mensagens “curtir/compartilhar” no Facebook? Algumas pessoas preferem ignorar, mas muitas ainda gostam de realizar uma ação pedida. Com isso, a distribuição da imagem acaba atingindo um número muito maior de pessoas. Esses conteúdos foram tidos como 15% menos relevante do que outras mensagens, de acordo com os próprios usuários que reportam o problema.

O algoritmo detectará esse tipo de mensagem e o excluirá do feed de notícias, permitindo que outros conteúdos possam aparecer em primeiro lugar. Ele também vai tirar de circulação aquelas imagens que são muito frequentes no Facebook, sendo que as páginas/pessoas que postarem muitas vezes a mesma coisa na rede de Zuckerberg serão punidas.

Esse tipo de postagem tende a esconder 10% das mensagens importantes.

Além disso, aqueles links com spam finalmente sumirão do mapa do Facebook. Todo aquele conteúdo inoportuno que induz as pessoas a clicarem em links com propagandas também será banido. Houve um aumento de 5% das pessoas clicando nesse tipo de link e, consequentemente, cresceu o número de reclamações.

Agora, aparentemente, só mesmo o que interessa é que será mostrado, sem conteúdo irrelevante no feed de notícias.

 

Fonte: Tecmundo 

Como as mudanças do Facebook afetam meus anúncios na rede social?

O Facebook anunciou recentemente uma mudança na forma como os posts dos usuários da rede social são exibidos. A prioridade a partir de agora são os conteúdos de amigos, em detrimento das publicações feitas por fan pages (empresas, marcas, artistas e figuras públicas).

A medida, feita alegadamente para incentivar as postagens, certamente causará impacto nas promoções e campanhas de publicidade, que terão a visibilidade reduzida.

De maneira semelhante, o Google mudou a forma como os anúncios são exibidos nas buscas e, no ano passado, a classificação de e-mails promocionais no Gmail. Isso sem contar as constantes alterações nas regras para classificação dos sites no posicionamento das pesquisas (que ficaram conhecidas por nomes de bichos como “Panda”, “Pônei”, etc).

Ainda é cedo para avaliar a medida do Facebook mas, baseado nas mudanças ocorridas em períodos anteriores, serve como um alerta para as empresas que investem em marketing digital: como usuários, estamos sujeitos aos “caprichos” das plataformas e canais de mídia, que promovem mudanças sem nenhum aviso. São como um vendaval ou tempestade, fenômenos naturais repentinos que podem provocar sérias consequências ao seu trabalho e patrimônio.

Sugiro aqui quatro iniciativas para sua empresa se preparar e evitar surpresas desagradáveis.

1. Pode parecer óbvio, mas a primeira medida é justamente ter consciência de que a internet é um ambiente altamente dinâmico. Google, Facebook, LinkedIn e outras grandes plataformas promovem mudanças constantes para se adaptar aos seus usuários e isso também afeta a publicidade, para o bem ou para o mal.

2. Assim como quem acompanha a previsão do tempo se prepara para enfrentar uma enchente, acompanhar as tendências na área de marketing digital serve para prever e se antecipar a possíveis mudanças que acarretem problemas para suas campanhas.

3. “Não deixe todos os ovos numa mesma cesta”, não concentre todos os investimentos de publicidade em somente um canal. Diversificar as ações em vários canais (Google, Facebook, portais de notícias) reduz o impacto de mudanças inesperadas em um deles.

4. Agir rapidamente, buscando alternativas para compensar possíveis perdas. No caso da nova política de exibição de posts do Facebook, por exemplo, uma tática seria analisar outros formatos de anúncios que o próprio site oferece.

 

Fonte: E Commerce News

E-commerce para pequenas empresas é uma realidade

E-commerce para pequenas empresas é uma realidade. O segmento de e-commerce para pequenas empresas vem crescendo a passos largos nos últimos anos, principalmente em função da derrubada de diversas barreiras de entrada, principalmente nas áreas de TI e marketing digital que tornavam este segmento uma exclusividade das grandes empresas.

Atualmente, é possível montar uma loja virtual com baixo investimento e contar com recursos que há pouco tempo atrás estavam disponíveis apenas para grandes empresas.

Antigamente, quando se falava em e-commerce para pequenas empresas, a realidade eram plataformas de e-commerce improvisadas e soluções em marketing digital primitivas, que em termos de retorno efetivo eram simplesmente nulas.

Este quadro mudou, e atualmente as PMEs podem disputar de igual para igual um mercado que apresenta uma taxa de crescimento média de 25% nos últimos cinco anos, segundo os relatórios da Webshoppers, e não apresenta qualquer sinal de esgotamento, muito pelo contrário.

O espaço das PMEs no e-commerce brasileiro o e-commerce para pequenas empresas surge como uma alternativa atraente para empreendedores pressionados pelos elevados valores de locação de imóveis e o caos urbano que tem transformado uma simples saída para compras nos shopping centers e outros centros comerciais em uma verdadeira aventura.

Como o custo de uma loja virtual é bem menor que o de instalação de uma unidade física, as pequenas empresas têm no comércio eletrônico uma opção para expansão de seus negócios, que une baixos custos e oportunidade de conquista de novos mercados. Isso tem feito com que cada vez mais, pequenos e micro empresários vejam no varejo eletrônico uma grande oportunidade de crescimento de seus negócios.

Ecomerce abre novos mercado para as PMEs. 

Uma das grandes vantagens do e-commerce para pequenas empresas é a expansão do mercado. Ao romper com as barreiras geográficas, o e-commerce, abre para as pequenas empresas um novo mercado, onde elas podem oferecer seus produtos para um público, que muitas vezes não tem acesso físico a eles, mas que pela Internet passa a fazer parte do rol de clientes, a um custo infinitamente menor do que o que representaria o mesmo investimento no mundo físico.

A expansão da banda larga no país é outro fator que estimula o ingresso das pequenas empresas no e-commerce.

Na medida em que cada vez mais lares brasileiros têm acesso a Internet através de conexões de banda larga, cresce o universo de consumidores em potencial. Isso cria um mercado praticamente virgem para as pequenas empresas, que por limitações orçamentárias não poderiam ter acesso a esses consumidores se não houvesse a opção do comércio eletrônico.

Tecnologia e capacitação profissional não é mais problema como a tecnologia aplicada ao e-commerce não é mais uma barreira de entrada para os pequenos empresários, que hoje dispõem de diversas opções para a criação de uma loja virtual de sucesso, criou-se um novo cenário para o crescimento.

A capacitação profissional também não é mais obstáculo já que é possível capacitar a equipe de colaboradores em qualquer lugar do Brasil, graças à educação a distância, área inclusive, que o Curso de E-commerce foi pioneiro, oferecendo cursos nas áreas de gestão de e-commerce e marketing digital de qualidade e atualizados. Quando criamos nosso curso de e-commerce para pequenas empresas ficamos surpresos com a demanda que superou em muito nossas espectativas, o que mostrou a forma desse mercado.

O importante é ter uma visão realista do mercado.

Dizer que criar uma presença comercial na Internet é fácil, é vender ilusões. Em nosso curso de e-commerce dimensionamos o comércio eletrônico para pequenas empresas de forma realista, para que ninguém seja induzido ao erro. O mercado é promissor, mas exige planejamento, investimento e dedicação. A criação de um projeto de comércio eletrônico precisa partir de premissas realistas e não de promessas de um negócio fácil.

Não se trata mais de saber o que vender pela Internet, já que atualmente vende-se de tudo na web, desde carros e apartamentos até ingressos para shows. Trate-se de saber como vender com eficiência, ou seja, como o e-commerce para pequenas empresas pode criar um diferencial em relação aos grandes players do mercado e com isso garantir um Market Share para as PMEs que entram agora.

O momento do mercado é ótimo e o e-commerce para pequenas empresas, representa uma oportunidade para conquista de novos mercados e expansão dos negócios.

 

Conheça aqui nossa plataforma que vem revolucionando a forma como as pequenas e médias empresas vem crescendo com uma excelente opção de plataformas para e-commerce.