7 maneiras de aumentar as vendas e margens do seu e-commerce

Diariamente, surgem novas lojas virtuais. Mercado em franco crescimento, facilidade de acesso à tecnologia e a demanda do consumidor por melhores experiências de atendimento formam uma equação que abre muitos espaços no varejo eletrônico.

A seguir, você encontra 7 passos eficientes para aumentar suas vendas, fortalecer a rentabilidade da operação e garantir que a sua loja tenha destaque e produtos mais competitivos.

1- Contrate um especialista em SEO.:Um dos caminhos mais importantes pelos quais um potencial cliente vai conhecer a sua loja são as ferramentas de busca, mais especificamente o Google, URL mais acessada do planeta. É muito importante que o seu e-commerce invista em otimizar a presença e qualificação nos sites de busca (SEO).

Com um site bem posicionado, sua loja passa a ter vantagens sobre os concorrentes. Vale a pena esclarecer que SEO e Links Patrocinados são coisas diferentes, embora ambos compartilhem a mesma página. Em SEO, o foco está em criar relevância entre o conteúdo através da relação com as palavras-chave de busca. Já os links patrocinados independem do conteúdo. A construção de visibilidade se dá por meio de lances em um leilão de anúncios, atraindo clientes ocasionais e, possivelmente, menos suscetíveis a fidelização.

2- Use (muitas) imagens (de qualidade): Um dos fatores que mais influenciam nas compras, independentemente do canal (on ou offline), é a aparência do produto. Uma boa imagem é essencial na venda. Então, tenha boas fotos! Se o cliente não sentir confiança na análise do produto pelas imagens que você oferecer, aumenta a probabilidade de mais um carrinho abandonado, venda perdida e uma oportunidade de fidelizar desperdiçada.

3- Tenha eficiência e transparência no frete e prazos: Segundo a e-Bit, o frete grátis é o segundo maior estímulo para comprar online e o terceiro fator mais decisivo de compra no e-commerce. Em outras palavras, a estratégia de frete e entrega influencia diretamente o cliente no momento da decisão sobre onde e como comprar. Além disso, o tempo de entrega é, assim como o valor do transporte, determinante de sucesso.
Por isso, para garantir um maior volume de vendas e ter mais clientes fiéis, é importante investir em gateways de frete. Ao oferecer mais opções de transporte e prazo, você dá ainda mais transparência ao negócio e aumenta as chances de aquela compra terminar com final feliz para todos.

4- Geração de conteúdo pelo usuário: 

Descubra e aposte em maneiras diferentes e eficazes de tornar seu produto conhecido. A geração de conteúdo pelo próprio usuário é uma dessas formas, por oferecer recomendações, opiniões, reviews e atingir novos usuários através da experiência daqueles que já conhecem a sua loja. Para isso, vale experimentar plataformas diversas, desde o mobile até os blogs e principalmente redes sociais, como o twitter, que vem crescendo como plataforma para atendimento online.

5- Tenha um site com sistema de pagamentos seguro: 

Segurança e confiança definem grande parte das vendas. Ainda há muita gente com receio de comprar online devido aos constantes casos de fraude e má fé no e-commerce. Esse ainda é um gargalo significativo e que deve ser tratado com atenção. Por isso, é preciso contar sistemas de pagamento digital e validadores de transações que integrem todos os meios e garantam, acima de tudo, percepção de proteção.

Cuidar da integridade do seu próprio banco de dados e proteger a informação que transita entre browser e servidor é fundamental. Criptografar os dados que trafegam no servidor e realizar a blindagem do site diminui as chances de prejuízos maiores.

6- Invista em m-commerce: 

Num cenário em que existem mais celulares do que pessoas no Brasil e que, cada vez mais, o tráfego acontece através dispositivos móveis, investir em soluções responsivas ou focadas nesses gadgets tem se tornado não mais “o futuro do e-commerce”, mas o presente. Já que os smartphones são quase uma extensão do corpo das pessoas, como negligenciar as oportunidades de venda via apps e sites para celulares e tablets? E se você já possui essa ferramenta, o interessante é tornar a experiência do usuário cada vez mais atrativa e conveniente.

7- Humanize o processo: 

Apesar do constante crescimento do comércio eletrônico, é perceptível a integração da internet à maioria das atividades do nosso dia a dia. Isso pressiona o ecommerce a ser mais humano. O consumidor é um só, independente do canal ou hora do dia. Demonstrar que, ali do outro lado da tela, também há um ser humano, torna mais agradável a experiência. Isso gera fidelização e constrói reputação. Design orientado à usabilidade e atendimento focado em resolver problemas e criar boas recordações podem ser a diferença entre o sucesso e o fracasso no nosso mercado.

Fonte: e-commerce Brasil

E-commerce para pequenas empresas é uma realidade

E-commerce para pequenas empresas é uma realidade. O segmento de e-commerce para pequenas empresas vem crescendo a passos largos nos últimos anos, principalmente em função da derrubada de diversas barreiras de entrada, principalmente nas áreas de TI e marketing digital que tornavam este segmento uma exclusividade das grandes empresas.

Atualmente, é possível montar uma loja virtual com baixo investimento e contar com recursos que há pouco tempo atrás estavam disponíveis apenas para grandes empresas.

Antigamente, quando se falava em e-commerce para pequenas empresas, a realidade eram plataformas de e-commerce improvisadas e soluções em marketing digital primitivas, que em termos de retorno efetivo eram simplesmente nulas.

Este quadro mudou, e atualmente as PMEs podem disputar de igual para igual um mercado que apresenta uma taxa de crescimento média de 25% nos últimos cinco anos, segundo os relatórios da Webshoppers, e não apresenta qualquer sinal de esgotamento, muito pelo contrário.

O espaço das PMEs no e-commerce brasileiro o e-commerce para pequenas empresas surge como uma alternativa atraente para empreendedores pressionados pelos elevados valores de locação de imóveis e o caos urbano que tem transformado uma simples saída para compras nos shopping centers e outros centros comerciais em uma verdadeira aventura.

Como o custo de uma loja virtual é bem menor que o de instalação de uma unidade física, as pequenas empresas têm no comércio eletrônico uma opção para expansão de seus negócios, que une baixos custos e oportunidade de conquista de novos mercados. Isso tem feito com que cada vez mais, pequenos e micro empresários vejam no varejo eletrônico uma grande oportunidade de crescimento de seus negócios.

Ecomerce abre novos mercado para as PMEs. 

Uma das grandes vantagens do e-commerce para pequenas empresas é a expansão do mercado. Ao romper com as barreiras geográficas, o e-commerce, abre para as pequenas empresas um novo mercado, onde elas podem oferecer seus produtos para um público, que muitas vezes não tem acesso físico a eles, mas que pela Internet passa a fazer parte do rol de clientes, a um custo infinitamente menor do que o que representaria o mesmo investimento no mundo físico.

A expansão da banda larga no país é outro fator que estimula o ingresso das pequenas empresas no e-commerce.

Na medida em que cada vez mais lares brasileiros têm acesso a Internet através de conexões de banda larga, cresce o universo de consumidores em potencial. Isso cria um mercado praticamente virgem para as pequenas empresas, que por limitações orçamentárias não poderiam ter acesso a esses consumidores se não houvesse a opção do comércio eletrônico.

Tecnologia e capacitação profissional não é mais problema como a tecnologia aplicada ao e-commerce não é mais uma barreira de entrada para os pequenos empresários, que hoje dispõem de diversas opções para a criação de uma loja virtual de sucesso, criou-se um novo cenário para o crescimento.

A capacitação profissional também não é mais obstáculo já que é possível capacitar a equipe de colaboradores em qualquer lugar do Brasil, graças à educação a distância, área inclusive, que o Curso de E-commerce foi pioneiro, oferecendo cursos nas áreas de gestão de e-commerce e marketing digital de qualidade e atualizados. Quando criamos nosso curso de e-commerce para pequenas empresas ficamos surpresos com a demanda que superou em muito nossas espectativas, o que mostrou a forma desse mercado.

O importante é ter uma visão realista do mercado.

Dizer que criar uma presença comercial na Internet é fácil, é vender ilusões. Em nosso curso de e-commerce dimensionamos o comércio eletrônico para pequenas empresas de forma realista, para que ninguém seja induzido ao erro. O mercado é promissor, mas exige planejamento, investimento e dedicação. A criação de um projeto de comércio eletrônico precisa partir de premissas realistas e não de promessas de um negócio fácil.

Não se trata mais de saber o que vender pela Internet, já que atualmente vende-se de tudo na web, desde carros e apartamentos até ingressos para shows. Trate-se de saber como vender com eficiência, ou seja, como o e-commerce para pequenas empresas pode criar um diferencial em relação aos grandes players do mercado e com isso garantir um Market Share para as PMEs que entram agora.

O momento do mercado é ótimo e o e-commerce para pequenas empresas, representa uma oportunidade para conquista de novos mercados e expansão dos negócios.

 

Conheça aqui nossa plataforma que vem revolucionando a forma como as pequenas e médias empresas vem crescendo com uma excelente opção de plataformas para e-commerce.