Se você odeia aquela mensagem de curtir/compartilhar, comemore.

Sem curtir ou compartilhar: Facebook punirá páginas com essa brincadeira.

O Facebook anunciou, no último dia 10, que vai realizar algumas mudanças no seu feed de notícias para oferecer, aos seus usuários, uma melhor experiência de navegação. Para que todos tenham acesso às notícias realmente relevantes, as mensagens “curtir/compartilhar”, os conteúdos frequentemente repetidos e os links com spam serão banidos da rede social por seu algoritmo, que está sendo aprimorado para essa tarefa.

Esse tipo de conteúdo, quando compartilhado, curtido ou comentado, tende a subir no feed de notícias e a atingir um grande número de usuários, escondendo as postagens da lista de amigos.

Essa medida fará com que os posts de contatos e as atualizações de outras páginas sejam mostrados com destaque nas atualizações. Tudo isso foi uma resposta aos pedidos dos usuários que frequentemente reclamam desse tipo de mensagem.

Isso pode gerar insegurança por parte de alguns donos de páginas, mas o Facebook alerta que a maioria dos editores não alimentam essa prática no site.

Portanto, não há o que temer, ninguém será impactado negativamente por essas mudanças. Pelo contrário, os seus conteúdos terão muito mais evidência. Somente quem, propositalmente, comete spam é que vai ver sua distribuição diminuir com o passar do tempo.

facebook-jaera

 

O que e por que será proibido:

Quem já não se deparou com as famosas mensagens “curtir/compartilhar” no Facebook? Algumas pessoas preferem ignorar, mas muitas ainda gostam de realizar uma ação pedida. Com isso, a distribuição da imagem acaba atingindo um número muito maior de pessoas. Esses conteúdos foram tidos como 15% menos relevante do que outras mensagens, de acordo com os próprios usuários que reportam o problema.

O algoritmo detectará esse tipo de mensagem e o excluirá do feed de notícias, permitindo que outros conteúdos possam aparecer em primeiro lugar. Ele também vai tirar de circulação aquelas imagens que são muito frequentes no Facebook, sendo que as páginas/pessoas que postarem muitas vezes a mesma coisa na rede de Zuckerberg serão punidas.

Esse tipo de postagem tende a esconder 10% das mensagens importantes.

Além disso, aqueles links com spam finalmente sumirão do mapa do Facebook. Todo aquele conteúdo inoportuno que induz as pessoas a clicarem em links com propagandas também será banido. Houve um aumento de 5% das pessoas clicando nesse tipo de link e, consequentemente, cresceu o número de reclamações.

Agora, aparentemente, só mesmo o que interessa é que será mostrado, sem conteúdo irrelevante no feed de notícias.

 

Fonte: Tecmundo 

Como as mudanças do Facebook afetam meus anúncios na rede social?

O Facebook anunciou recentemente uma mudança na forma como os posts dos usuários da rede social são exibidos. A prioridade a partir de agora são os conteúdos de amigos, em detrimento das publicações feitas por fan pages (empresas, marcas, artistas e figuras públicas).

A medida, feita alegadamente para incentivar as postagens, certamente causará impacto nas promoções e campanhas de publicidade, que terão a visibilidade reduzida.

De maneira semelhante, o Google mudou a forma como os anúncios são exibidos nas buscas e, no ano passado, a classificação de e-mails promocionais no Gmail. Isso sem contar as constantes alterações nas regras para classificação dos sites no posicionamento das pesquisas (que ficaram conhecidas por nomes de bichos como “Panda”, “Pônei”, etc).

Ainda é cedo para avaliar a medida do Facebook mas, baseado nas mudanças ocorridas em períodos anteriores, serve como um alerta para as empresas que investem em marketing digital: como usuários, estamos sujeitos aos “caprichos” das plataformas e canais de mídia, que promovem mudanças sem nenhum aviso. São como um vendaval ou tempestade, fenômenos naturais repentinos que podem provocar sérias consequências ao seu trabalho e patrimônio.

Sugiro aqui quatro iniciativas para sua empresa se preparar e evitar surpresas desagradáveis.

1. Pode parecer óbvio, mas a primeira medida é justamente ter consciência de que a internet é um ambiente altamente dinâmico. Google, Facebook, LinkedIn e outras grandes plataformas promovem mudanças constantes para se adaptar aos seus usuários e isso também afeta a publicidade, para o bem ou para o mal.

2. Assim como quem acompanha a previsão do tempo se prepara para enfrentar uma enchente, acompanhar as tendências na área de marketing digital serve para prever e se antecipar a possíveis mudanças que acarretem problemas para suas campanhas.

3. “Não deixe todos os ovos numa mesma cesta”, não concentre todos os investimentos de publicidade em somente um canal. Diversificar as ações em vários canais (Google, Facebook, portais de notícias) reduz o impacto de mudanças inesperadas em um deles.

4. Agir rapidamente, buscando alternativas para compensar possíveis perdas. No caso da nova política de exibição de posts do Facebook, por exemplo, uma tática seria analisar outros formatos de anúncios que o próprio site oferece.

 

Fonte: E Commerce News